• SBP Advocacia

Emoção _ Prioridade nas transformações de negócios?

Universidade de Oxford e empresa de consultoria global EY realizaram entrevistas em 16 setores da indústria de 23 países.


Mudanças corporativas bem-sucedidas dependem de ações e decisões totalmente racionais, sendo que a emoção pode comprometer o sucesso da empreitada. Certo? Não é bem assim. Priorizar as emoções pode ser a chave para o sucesso da transformação nos negócios.

Pesquisa feita pela EY e Universidade de Oxford aponta que o sucesso ou o fracasso de uma transformação de negócios dentro de uma empresa são baseados em emoções humanas.


A pesquisa, divulgada em julho, foi realizada com 935 líderes de companhias e 1.127 trabalhadores de escalões inferiores, distribuídos em 23 países e 16 setores da indústria.


Os resultados mostram que os líderes que priorizam as emoções da força de trabalho em suas transformações têm 2,6 vezes mais chances de serem bem-sucedidos do que aqueles que não priorizam o lado emocional.


Além disso, mais da metade dos entrevistados (52%) afirmou que suas empresas prestaram todo o apoio emocional em decisões e mudanças complexas nas organizações.


Por outro lado, em situações em que os resultados foram negativos, foi verificado um forte aumento na tensão emocional das pessoas.


A transformação bem-sucedida é fundamental para a prosperidade e o desenvolvimento das organizações.


A pesquisa constata que o impulso pelas mudanças está crescendo nos últimos anos, com 85% dos entrevistados envolvidos em duas ou mais transformações nos últimos cinco anos.

Ao mesmo tempo, o índice negativo para projetos de transformações permanece alto, sendo que 67% dos entrevistados tendo vivenciado pelo menos uma transformação de baixo desempenho nesse ciclo de cinco anos.


A pesquisa conclui que o sucesso da transformação em uma empresa, independentemente do porte, depende de seis fatores. São eles:


Adaptar e nutrir habilidades de liderança: 

A força de trabalho classifica a liderança como o principal motor, independentemente do sucesso ou fracasso da transformação.


Criar uma visão inspiradora na qual a força de trabalho possa acreditar: 

Quase metade (49%) dos entrevistados que estiveram presentes em uma transformação de alto desempenho afirmou que os objetivos colocados para eles eram claros e convincentes. Para se ter uma ideia, em uma transformação de baixo desempenho, o mesmo índice cai para apenas 27% dos entrevistados.


Construir uma cultura que abrace e empodere a opinião de todos: 

Os líderes precisam aproveitar as emoções certas para manter os trabalhadores engajados e motivados, ao mesmo tempo em que fornecem apoio emocional suficiente para prevenir problemas relacionados à ansiedade e estresse no trabalho.


Estabelecer responsabilidades claras: 

A corporação deve fornecer a estrutura e a disciplina, bem como a liberdade criativa de explorar e inovar, ao mesmo tempo em que criam autonomia para a organização executar as transformações.


Usar a tecnologia para conduzir a ação visível: 

Os líderes devem provar o valor de novas abordagens habilitadas para a tecnologia precocemente e recrutar influenciadores iniciais para trazer a força de trabalho junto.


Encontrar as melhores maneiras de se conectar e cocriar: 

É necessário que as corporações criem um espaço seguro onde novas formas de trabalho possam surgir para aumentar a inovação, o engajamento e o trabalho satisfatório.


(Pesquisa: https://www.ey.com/pt_br )

 

SBP Notícias

Núcleo de justiça 4.0: Como ampliar e facilitar o acesso à Justiça?

https://www.sbp.adv.br/post/live-nucleo-de-justica

#SBPadvocacia #advocaciatrabalhista #empresas #empresário #indústria #empregador #recursoshumanos #trabalho #empresarial #gestores #inovacao