• SBP Advocacia

Saúde e bem-estar mental. Quais os impactos do “ambiente casa”?

Distante do ambiente empresarial e das normas de conduta e de comportamento, o home office pôde contribuir para um aumento dos hábitos que proporcionam prazeres aos trabalhadores.

E quando o local até então para descanso e para se desligar do estresse do trabalho torna-se tão estressante quanto a empresa? O “ambiente casa” pode prejudicar a saúde mental e aumentar as situações de angústia e ansiedade?

SBP Advocacia apresenta a análise de Luiz Otavio Lemos da Silva Lourencetto, Psicólogo. Acompanhe:

Como maus hábitos com a rotina do Home Office podem afetar a saúde individual e o bem-estar mental?


Esta é uma pergunta aparentemente simples, mas que traz todo um contexto muito complexo.

Vamos considerar “maus hábitos” como sendo o comportamento que pode trazer algum tipo de prejuízo para o indivíduo.

Utilizando como exemplo o consumo de álcool e outras drogas quando além do caráter recreativo, a alimentação desbalanceada, a ausência de atividades físicas, a ausência de momentos de descanso entre outras variáveis, quando combinadas ou até mesmo individualmente, em excesso, é sabido que podem ser causadoras de problemas de saúde e quando associadas ao home office, existe um contexto que precisa ser olhado com atenção.

O “ambiente casa” pode proporcionar a cama quentinha, o chocolate que está no armário, o bolo pronto no forno, a pipoca que só falta ser estourada, o refrigerante na geladeira, as latinhas de cerveja que já estão “trincando”, as redes sociais na aba do navegador, os aplicativos de relacionamento podendo ser acessado com maior liberdade.


Tudo isso fica com o acesso mais facilitado e sem necessariamente com um ambiente empresarial que nos coloca normas de conduta e de comportamento, o que pode contribuir para um aumento dos hábitos que proporcionam prazeres.


O fato de que, em dado momento o colaborador pode estar sob situações de forte estresse, sendo cobrado pelo chefe, com prazo curto pra entrega de uma tarefa importante, reuniões por vídeo conferência, além do fato de estar em casa e pode o ter gato miando, cachorro latindo, filhos demandando atenção, vizinho fazendo reforma, entre inúmeras outras situações, todas essas podem ser fontes de desprazeres.


O ser humano tende a evitar o desprazer e buscar o prazer, e se o trabalho e o contexto do home office está proporcionado desprazer, é comum que a pessoa busque pequenos prazeres para amenizar, compensar, recompensar tais mal-estares, e em casa as condições prazerosas ficam com o acesso mais facilitado.

Pequenos prazeres dependendo da frequência e da forma que são vivenciados podem trazer prejuízos à saúde, como por exemplo, a alimentação desbalanceada que pode causar obesidade, a falta de nutrientes entre outros; o aumento do sedentarismo e a ausência de atividades físicas podem estar relacionados com situações de perda de força e resistência muscular, enfraquecimento dos ossos, entre outros aspectos.

Já olhando para o aspecto psicológico, quando “aprendido” que pequenos prazeres em meio a situações de desprazer podem ser recompensadores, tais modos de vivências podem se tornar também prejudiciais.


Por exemplo, uma pessoa que encontra no consumo de álcool e outras drogas em meio à jornada de trabalho, ou no fim dela, uma válvula de escape, algo prazeroso para lidar com algum desprazer, e tem isso como sua única forma de satisfação, existe a possibilidade de que essa forma de descarga de tensão ganhe caráter repetitivo, podendo em algum momento se transformar em vício.


Assim como na pessoa que encontra no sexo a única forma de dar vazão do acúmulo de situações estressantes, podendo apresentar no futuro o comportamento de compulsão sexual.

Ou ainda no indivíduo que encontra na comida uma forma de satisfação imediata, podendo apresentar em certo momento um quadro de compulsão alimentar, ou até mesmo nas pessoas que encontram dificuldade para desempenhar suas funções no trabalho por não conseguirem sair de redes sociais (encontram prazer).

Lembrando que os exemplos citados são apenas para explicação de forma didática, pois, cada comportamento humano pode ter como fonte, várias possíveis causas.


Dessa forma, o local que antes era tido como local para descanso e para se desligar do estresse do trabalho, pode acabar se tornando um local tão estressante quanto o escritório, gerando mesmo em momentos de não trabalho, situações de angústia, estresse, ansiedade e dependendo dos recursos que cada um tem para dar vazão ao estresse, associado ao histórico de vida de cada um, pode se tornar um comportamento prejudicial à saúde e de saúde mental dependendo da maneira, contexto e frequência de que acontece.


Veja o a materia em arquivo PDF:

Saúde e bem-estar mental
.pdf
Download PDF • 3.78MB

Fonte:

Luiz Otavio Lemos da Silva Lourencetto – 41 9 9581 5041

Psicólogo – CRP 08/25924

Proprietário da Mente Sã Corpo São – Centro de Qualidade de Vida

41 9 9805 0858

Créditos:

Artesania Comunicação Jurídica (https://www.artesania.adv.br/)


SBP Advocacia traz uma série exclusiva sobre o Home Office no Brasil. Acompanhe os impactos sociais, físicos e emocionais aos trabalhadores. Não perca.

Notícias SBP


Indústria responde por 40% dos empregos criados no Paraná

https://www.sbp.adv.br/post/industria-parana


SBP Advocacia entre os Escritórios Mais Admirados na Região Sul

https://www.sbp.adv.br/post/sbp-advocacia-entre-os-escritorios-mais-admirados-na-regiao-sul


TAGS

#SBPadvocacia #industria #parana #advocaciatrabalhista #trabalho #empregador #empregos #trabalhador #empresario #empresa #RH #recursoshumanos #homeoffice #trabalhoremoto #empregador