• SBP Advocacia

Como o metaverso vai mudar o mercado de trabalho

Novas profissões devem surgir com a integração dos mundos real e virtual; outras devem desaparecer.

O mercado de trabalho está em constante transformação. É difícil imaginar como estariam, hoje em dia, trabalhadores de profissões completamente extintas, como acendedores de lampiões ou professores de datilografia. O mesmo acontece em relação ao futuro, com o surgimento de atividades que sequer existem hoje em dia. E as principais novidades devem surgir no campo da tecnologia e da inovação.


O metaverso – plataforma que vai ser utilizada para a criação de aplicativos e ferramentas de interação social em uma nova fase da web conhecida como internet imersiva – ainda é conceito um pouco distante para a população em geral, mas o seu desenvolvimento já movimenta o mercado de trabalho. Novas profissões devem surgir com o advento do metaverso. Esse ambiente virtual imersivo é construído por meio de diversas tecnologias, como realidade virtual, realidade aumentada e hologramas.


De acordo com os especialistas, a maior parte das novas profissões do metaverso estará concentrada na área de tecnologia e informação (TI). Mas áreas clássicas, como engenharia, arquitetura e administração também estarão no radar dos empregadores do metaverso.


Uma delas é a engenharia de produção, já que um dos desafios deste profissional é desenvolver estratégias e planejar a convivência harmônica entre o homem e a máquina nas grandes empresas.

“O mercado de trabalho vai precisar de novas formas para atuar dentro deste contexto de metaverso. Há várias oportunidades de mercado aparecendo aos profissionais de diversas áreas”, explica Fábio Lopes, professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Lopes destaca que praticamente tudo ainda é muito recente e embrionário na nova plataforma virtual, mas que o desenvolvimento deve ser acelerado nos próximos anos.


“Vamos ter muitas áreas novas no mercado de trabalho, seja em tecnologia da informação, marketing, comunicação etc”, diz o professor.

No atual estágio, ele destaca as pesquisas que estão sendo feitas para o desenvolvimento do ambiente do metaverso e que reúne profissionais de diversas formações. “Já há estudos e análises referentes às salas de reunião de trabalho e às salas de aula virtuais no metaverso”, exemplifica.


Ao mesmo tempo em que surgem novas profissões, outras que já existem devem ser afetadas ou mesmo extintas pelo avanço da tecnologia, principalmente técnicas.


Estudo da Universidade de Brasília (UnB) aponta que, nos próximos cinco anos, mais da metade dos empregos formais no país poderá ser substituída por robôs ou programas de computadores.


Entre as profissões quer correm risco, como ocorreu com os acendedores de lampiões no passado, estão cobradores de ônibus, taquígrafos, recepcionistas de hotéis e outros serviços e gerentes de almoxarifados.


“É provável que, além do aprimoramento das carreiras de tecnologia, como pesquisador do metaverso, desenvolvedor de ecossistemas e gerente de segurança, também vejamos a expansão do raio de influência do marketing digital”, afirma a jornalista Denise Lourenço, pesquisadora de educação digital e coordenadora geral de pós-graduação na Trevisan Escola de Negócios.

"Além disso, certamente poderemos observar a produção de novos tipos de influenciadores que atuarão especificamente na nova realidade mista, em que o mundo real e o ambiente virtual terão as fronteiras apagadas”, completa Denise.

Algumas novas atividades que as pessoas nunca ou pouco ouviram falar devem surgir com o metaverso. Entre elas:


Especialistas em bloqueio de anúncios

O papel deste profissional será administrar a invasão comercial no metaverso, que deve ser inundado por publicidade como algumas páginas da internet, hoje.


Engenheiro de nanorrobôs médicos

A nanotecnologia (ciência que se dedica ao estudo da manipulação da matéria numa escala atômica e molecular) estará cada vez mais presente na medicina. Diante disso, o mercado vai precisar cada vez mais de profissionais com conhecimento em medicina e robótica para auxiliar no tratamento dos pacientes.


Construtor do novo mundo

Nesse caso, tem muito a ver com o mundo dos gamers, para construir novas soluções e produtos no metaverso. É preciso ter a visão do todo para a criação de algo que ainda não existe.


Estrategista de metaverso

Responsáveis pela identificação e desenvolvimento das oportunidades de mercado. Esses profissionais deverão ter amplo conhecimento na área de negócios, gerenciamento e marketing.


Gerente de segurança

Assim como na internet atual, a segurança no metaverso será um dos temas mais importantes. É necessário prever e atuar rapidamente em caso de problemas relacionados à vulnerabilidade. Uma das formações desse profissional deverá ser a engenharia de tecnologia com especialização em segurança de sistemas.


Storyteller (contador de histórias)

O profissional será responsável pela projeção das missões imersivas, ou seja, a linha de experiência no metaverso, cenários de treinamento, oportunidades de marketing etc.


(fonte: Agência EY)

 

Notícias SBP:

Paraná tem o melhor saldo na geração de empregos formais em 18 anos

https://www.sbp.adv.br/post/geracao-de-emprego-parana


CEOs do Brasil e do mundo estão otimistas sobre perspectivas econômicas globais

https://www.sbp.adv.br/post/ceos-brasil


Contratos de estágios | prós e contras do home office

https://www.sbp.adv.br/post/contratodeestagiosposecontras

 

#SBPadvocacia #advocaciaempresarial #advocaciatrabalhista #empregador #recursoshumanos #gestores #liderança #empreendedor #mercadodetrabalho #trabalhadores #empregador #executivos #empresario #industria #paraná #metaverso #tecnologia